O Que as Empresas Podem Fazer Sobre o Tabagismo?

O Tabagismo traz grandes males a saúde das pessoas e a empresa pode ser um grande aliado daqueles que queiram parar de fumar.

O número de fumantes tem caído constantemente em todo o mundo. Se durante a década de 80 fumar era moda, com marcas de cigarro estampadas nos carros de Fórmula 1, hoje a realidade é bem diferente. O Poder Público tem delimitado os locais onde a prática é liberada e realizado campanhas de conscientização. As empresas também participam desse trabalho contra o tabagismo.

Embora a mídia faça grande divulgação sobre os malefícios do tabagismo, muitas pessoas ainda não sabem os riscos que a prática oferece. Ensinar os danos a curto e médio prazo, de uma forma didática, ajuda na redução de fumantes. É importante fazer o colaborador refletir sobres os problemas causados para si e para os companheiros de serviço.

Empresas e o tabagismo

As empresas devem planejar técnicas para abordar o tabagismo e reduzir a sua incidência. Primeiramente, devem ser indicados os danos que produtos do tipo fazem para a saúde dos trabalhadores e suas famílias.

Pesquisas feitas pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam que um fumante tem 10 vezes mais chances de adquirir câncer de pulmão, 05 vezes mais possibilidades de ter infarto e 02 vezes mais de sofrer um derrame. Com essas informações os funcionários irão pensar um pouco mais antes de fumar.

O que as empresas podem fazer sobre o tabagismo

Empresas não contratam fumantes

A Lei 9.294/96, regulamentada pelo Decreto 2.018/96, proibi a utilização de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou algum outro tipo de fumígeno em ambiente de trabalho coletivo.

Hoje em dia algumas empresas no momento da divulgação de vagas informam que não contratam fumantes. Estudos apontam que funcionários com essa característica custam mais para os contratantes, devido as paradas para fumar, produtividade e gastos com médicos.

Direito dos colegas não fumantes

Você sabia que os trabalhadores que não possuem o hábito de fumar podem exigir um ambiente livre do tabagismo e inclusive cobrar ressarcimento por eventuais doenças de tabagismo passivo?

Trabalhadores de bares e restaurantes, com áreas liberadas para o fumo, podem consumir grandes quantidades de fumaça tóxica durante uma jornada de 8h de trabalho. Mesmo que todos os colabores de um determinado setor fumem, não será permitido o fumo neste ambiente, por exemplo.

O que mais as empresas podem fazer?

É sempre importante que as empresas pensem no bem estar e qualidade de vida de seus funcionários, já que o maior patrimônio de uma empresa são seus colaboradores.

Algumas ações voltadas a qualidade de vida são bem simples de serem adotadas e produzem grande retorno.

1. Ginástica laboral nas empresas

Largar o tabagismo é difícil e segundo levantamento do INCA, aproximadamente 80% dos fumantes querem deixar o vício, por outro lado, apenas 30% conseguem sem auxílio de terceiros.

Implantar a prática de ginástica laboral na empresa ajuda reduzir o estresse e a ansiedade dos colaboradores, que são os principais problemas relatados por quem quer parar de fumar.

2. Programa de controle

Mesmo que a empresa não possua fumantes na lista de funcionários, é recomendado implementar um programa de conscientização. Servirá como prevenção e medida educacional, assim os colabores poderão ajudar amigos ou familiares que pretendem abandonar o vício.

A Conceito Zen possui uma palestra de Qualidade de Vida onde um dos seus pilares é justamente não ter a prática do fumo devido aos enormes prejuízos a saúde. De uma forma muito descontraída conseguimos passar este tipo de reflexão para todos os colaboradores.

3. Ambientes livres de tabaco

De acordo com especialistas, as áreas livres de tabaco são o último passo antes de abandonar totalmente o vício. Algumas empresas ainda mantêm os fumódromos, ajudando na redução gradativa do consumo de produtos do tipo. Aplicando essa medida, a tendência é de queda de até 20% no número de fumantes no ambiente de trabalho.

Autor

Rafael Lobo

Fundador e sócio-diretor na Conceito Zen, Bombeiro Civil com aperfeiçoamento em Segurança do Trabalho, Técnico em Massoterapia e vencedor do Prêmio Reconhecimento Senac, atua desde 2008 com palestras e atividades voltadas para SIPAT e Qualidade de Vida no Trabalho.

Comentários

  1. Ana Clara Bizano Oliveira :

    Muito boa essas dicas, vou seguir, pois quero largar este vicio.

    • Rafael Lobo :

      Olá Ana Clara.
      Boa sorte em sua jornada!

      Abraços,
      Rafael

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado – Campos obrigatórios estão marcados com *

O Que as Empresas Podem Fazer Sobre o Tabagismo?