Quanto Custa um Acidente de Trabalho?

Um acidente de trabalho custa muito mais que prejuízos financeiros. É um problema que precisa ser tratado diariamente nas empresas.

De acordo com dados oficiais, bilhões de reais são destinados para cobrir os prejuízos de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. Por isso, as empresas devem estar sempre preparadas para os custos que um pequeno acidente pode gerar e criar campanhas internas de conscientização e orientação para minimizar qualquer possibilidade de acidente no ambiente de trabalho.

Além do prejuízo financeiro, é importante ter em mente que as consequências de um acidente de trabalho não param apenas nos caixas das empresas. O funcionário é quem mais sofre com essa situação. Muitas vezes, o acidente pode lhe custar um órgão, um membro, ou até a vida. Além das consequências físicas, o empregado também pode sofrer com sequelas na saúde mental, o que pode afetar toda a sua vida profissional.

E é claro que as famílias não estão livres disso, visto que muitas delas dependem de uma renda provinda do funcionário. Ou seja, os acidentes de trabalho são problemas sociais. Não envolvem apenas empregados e empregadores, porque geram consequências em todo um ciclo.

Torneira despejando dinheiro

Quanto custa um acidente de trabalho para a empresa?

De modo geral, é importante que as empresas estejam cientes dos custos que podem precisar arcar no caso de um acidente de trabalho. Mesmo que cada caso seja isolado e específico, existem algumas características que ajudam na hora de calcular o prejuízo que uma situação dessas pode causar.

  • Custos diretos: estão relacionados às despesas hospitalares. Tratamentos médicos, odontológicos, internações, remédios e até cirurgia, se necessário. Em caso de sequelas pós acidente, a empresa também deve arcar com um auxílio-acidente. Além disso, é obrigada por lei a pagar os primeiros quinze dias ao funcionário acidentado normalmente;
  • Custos indiretos: são as despesas consequentes ao acidente. Nessa categoria, entram reparo de máquinas ou ferramentas, despesas com perícia, atrasos no cronograma, paralisação de setor, repercussão negativa, etc.;
  • Custos jurídicos: não ocorrem em todos os casos, mas a empresa deve estar preparada para enfrentá-los. O funcionário acidentado tem direitos, e pode reivindicá-los através da lei.

Quanto custa um acidente de trabalho para o funcionário?

O prejuízo de um acidente de trabalho é um grande incômodo para as empresas. Mas pode trazer muito mais consequências na vida do funcionário acidentado. Além de precisar lidar com sequelas, ainda há o efeito traumático.

Muitas vezes, a pessoa pode perder ou machucar membros, contrair doenças ou até mesmo perder a vida. Nos casos de sequela, retornar ao trabalho depois de um acidente é muito difícil.

E não podemos nos esquecer das famílias, que muitas vezes dependem da renda do trabalhador para sobreviver. São vidas afetadas pela falta de segurança no trabalho.

Veja Também: Diferença Entre Acidente e Incidente

Como evitar esses custos?

É claro que é muito difícil prever um caso como um acidente de trabalho. No entanto, existem diversas medidas que podem diminuir ao máximo as chances de que isso ocorra, ou ao menos reduzir as consequências.

Investir em segurança do trabalho é crucial. Por isso, o treinamento da equipe e os equipamentos de segurança devem ser prioridade. Assim, o funcionário conhecerá a função que deve realizar da forma mais correta possível.

A boa comunicação entre empregado e empregador também é uma boa pedida. Assim, as informações ficam claras, inclusive em momentos de urgência.

Autor

Rafael Lobo

Fundador e sócio-diretor na Conceito Zen, Bombeiro Civil com aperfeiçoamento em Segurança do Trabalho, Técnico em Massoterapia e vencedor do Prêmio Reconhecimento Senac, atua desde 2008 com palestras e atividades voltadas para SIPAT e Qualidade de Vida no Trabalho.

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado – Campos obrigatórios estão marcados com *