O Alto Consumo de Álcool no Brasil

O aumento da ingestão de álcool pelos brasileiros têm causado grandes transtornos físico e mental para a população como um todo.

O alto consumo de álcool no Brasil já não é novidade para ninguém, não é verdade? O Relatório Global sobre Álcool e Saúde, que é divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), afirma que em 2014 a média mundial de consumo, para pessoal acima de 15 anos, era de pouco mais de 6,2 litros de álcool puro. A média brasileira é de 8,7 litros por pessoa!

Comparando os dois sexos, homens ingerem cerca de 13,6 litros, já as mulheres 4,2 litros.

Apesar de não parecer muito, estamos falando aqui do álcool puro, e não da bebida toda consumida. Para ficar um pouco mais claro, uma garrafa de cerveja, em média, tem 4,5% de teor alcoólico.

O Alto Consumo de Álcool no Brasil

Beber socialmente – Um perigo que leva ao alcoolismo!

Festas animadas de finais de semana são o cenário perfeito para o exagero. Muitas vezes quem bebe socialmente acredita que este consumo esporádico não traga malefícios à saúde. Porém está enganado.

Segundo um estudo realizado pelos Scripp’s Research Institute da Califórnia, ingerir grandes quantidades de álcool de uma só vez afeta o cérebro da mesma maneira que o consumo frequente.

Este comportamento se torna muito arriscado, uma vez que o indivíduo fica mais exposto a situações de risco, como brigas, sexo desprotegido e acidentes de trânsito. O risco de infarto e overdose alcoólica são maiores também. Beber socialmente tem outros malefícios, e um deles é poder levar ao desenvolvimento da dependência química.

Como a Conceito Zen atua nas empresas

Sabendo destes problemas sociais, a Conceito Zen realiza uma palestra sobre alcoolismo nas empresas e este tema tem sido um dos mais requisitados pelos clientes que têm em seu quadro de funcionários, pessoas que já estão perdendo saúde, qualidade de vida e rendimento.

Nosso grande desafio é proporcionar uma palestra com conscientização ao mesmo tempo interativa para que todos os participantes interajam durante as apresentações e levem estes conhecimentos adiante.

Desde 2010 somos uma empresa especializada em apresentações interativas e nossa metodologia tem se destacado no mercado de apresentações corporativas com um portfólio com mais de 2500 empresas atendidas.

Doenças relacionadas ao consumo de bebidas alcoólicas

O consumo excessivo e prolongado de álcool pode desenvolver uma série de doenças. Muitas pessoas apenas se preocupam com o alcoolismo, deixando de lado a gastrite, cirrose, infarto, trombose, infertilidade, câncer, e até mesmo a demência!

  • Gastrite – Inflamação na parede do estômago, que pode levar a perda do apetite, fortes dores, náuseas, azias, gases na forma de arrotos ou flatos e vômitos. A gastrite pode ainda evoluir para uma úlcera, que é uma ferida no estômago. Algo muito mais sério e difícil de tratar.
    Cirrose – Inflamação do fígado conhecida também como hepatite. Alguns sinais são pele e olhos amarelados e abdômen inchado. Episódios repetidos de hepatite podem levar à cirrose hepática, onde as células do fígado são destruídas, fazendo com que o órgão possa parar de funcionar e levar o indivíduo à óbito.
  • Infarto – Doença cardiovascular que pode ocorrer devido ao aumento do colesterol, causado pelo álcool, onde há excesso de gordura acumulada nas aterias, impedindo a circulação.
  • Câncer – O alto consumo de álcool está relacionado com diversos tipos de câncer, como na faringe, laringe, esôfago, estômago, fígado, reto, mama e cólon.
    Demência – Perda de memória, dificuldade na fala e ao locomover-se.
    Anorexia Alcoólica – Distúrbio alimentar onde bebidas passam a ser ingeridas ao invés de alimentos, para evitar o consumo de calorias, com a finalidade de emagrecer.
  • Não exagere na dose!

Pode-se dizer que o bebedor social é aquele que degusta a bebida, que aprecia seu sabor e consegue decidir quando parar de beber. Já o alcoólatra busca os efeitos do álcool, como a desinibição e sensação de relaxamento, por exemplo, levando a pessoa a ingerir quantidades absurdas em uma única festa.

Um dos grandes impactos negativos do alcoolismo também se dá pela falta de segurança no trabalho do trabalhador ao estar sob efeito químico ou na famosa “ressaca”. Além de se colocar numa própria situação de risco é possível também que este funcionário alcoolizado coloque a saúde e segurança de outros profissionais em risco.

Autor

Rafael Lobo

Fundador e sócio-diretor na Conceito Zen, Bombeiro Civil com aperfeiçoamento em Segurança do Trabalho, Técnico em Massoterapia e vencedor do Prêmio Reconhecimento Senac, atua desde 2008 com palestras e atividades voltadas para SIPAT e Qualidade de Vida no Trabalho.

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado – Campos obrigatórios estão marcados com *

O Alto Consumo de Álcool no Brasil - Conceito Zen